5 Templos para visitar em Bali

Bali é famosa por seus templos. Devido a arquitetura (de séculos atrás) e a localização (uns na costa outros na montanha), alguns desses templos se tornaram um símbolos da ilha. Esteja atento as taxas de entradas e trajes (mais informações no fim do post).
Vamos a lista dos mais recomendados (não necessariamente em ordem):

Tanah Lot Temple

Tanah Lot é o templo hinduísta mais visitado de Bali. Fica numa pedra, na praia. No pôr do sol é ainda mais bonito. Você, visitante, não pode de fato entrar no ‘templo’ na maioria dos dias, pode ve-lo por fora.  Em volta tem um monte de restaurante e lojinha de souvenir – a dica é ir lá ver o por do sol e já ficar pra jantar :)

Em frente ao templo, na praia, tem uma caverna, dentro dessa caverna “a cobra sagrada”. É uma cobra listada, preta e branca, que aparamente da sorte. Você tem que ir lá e tocar na cobra. Que fica escondida lá na pedra – tem um coroa (que não fala inglês) que cuida dela lá. É de graça, mas eles pedem pra vc você fazer uma doação pro templo. Na mitologia balinesa a cobra proteje os que vão lá rezar no templo e as famílias que vivem em volta dele.

Ulun Danu Temple

Pura Ulun Danu Bratan fica numa lagoa (lagoa Bratan). A lagoa fica bem no meio da ilha de Bali e é super importante pra agricultura. Os locais vão lá prestar homenagens e levar oferendas para a deusa dos rios e lagoas.

Esse templo é na verdade um ‘complexo’ de templos. Atrás desse templo hinduísta, tem um budista. Aliás, a coisa mais interessante (na minha opinião) sobre Bali é que eles tem 3 religiões: Hindu (a mais comum), Budismo e também islamismo. E todo mundo convive numa boa, cada um no seu templo, com seus costumes e crenças. Até os restaurantes sempre tem opções pras 3 religiões – Hinduístas não comem carne bovina, muçulmanos não comem carne de porco e alguns budistas são vegetarianos.

O templo budista em Ulun Danu:

Outro fato sobre Ulun Danu é que ele está na nota de 50.000 Rupiah (moeda local):

Tirta Empul

Tirta Empul é mais um templo hinduísta que é famoso porque tem uma fonte, e a água dessa fonte supostamente é sagrada. 
As pessoas vão lá pra rezar e tomar banho na fonte. Qualquer um pode entrar – mesmo a gente, turista, desde que respeite as regras, pode entrar e fazer o tal ‘ritual da purificação’.
Eu fiz (pode me zuar). Apesar de vir de família católica, eu sou agnóstica. Mas me interesso por religião como fenômeno cultural e já que estava lá… Resolvi fazer o ritual pra entender melhor como funciona. Tem uma ordem específica (porque tem várias fontes, e cada uma tem uma função diferente), mas eles mesmos te explicam, se você pedir.
Se você pretende fazer o ritual, leve roupa pra se trocar. Pra entrar no templo, você precisa de uma faixa laranja na cintura (eles vão te emprestar na entrada). Para fazer o ritual você precisa se cobrir com uma canga (eles mesmo te ensinam como, pode ser assim tipo vestido ou pode ser só nas pernas (se você estiver com blusa, não pode ficar de biquini).
Como eu disse, eles não cobram e não se importam que você participe do ritual ainda que seja turista (a maioria das pessoas no ritual são locais). Mas siga as instruções deles e use a canga que eles oferecem lá.

As pessoas rezando antes de entrar na água:

Eu e a tal da canga, com biquini por baixo. A moça lá no dia me instruiu a colocar assim pra eu não precisa molhar minha roupa.

Um grupo escolar que chegou logo depois que eu saí da água:

Imagina entrar na água com essa galera toda? Eww.

Goa Gajah (Elephant Cave)

É todo de pedra e fica em Ubud (na ‘serra’ de Bali). Achei lindo. Mas, vi várias pessoas no trip advisor dizendo que é “skippable” ou “minimal interest” porque a manutenção não está em dia, já vi até review reclamando do preço (na boa, custa tipo $1,50 dólares – isso, um dólar e cinquenta centavos). Quase tirei do roteiro, ainda bem que acabei indo. Achei super bonito – inclusive a UNESCO considera patrimônio mundial da humanidade. Mas pra estabelecer melhor as suas expectativas: tem cara de ruína e apesar de ser Elephant Cave não tem elefante. Tem umas cavernas e esculturas de pedras, um jardim, um riacho e é um local pra meditação.

Dica: como fica em Ubud, vale a pena ir no mesmo dia que você for pra Monkey Forrest. Aproveita pra dar uma volta pelas ruazinhas de Ubud também. Na minha opinião é o bairro mais bonito de Bali.


Uluwatu temple

Uluwatu fica na ponta de um penhasco de 70m, na beira da praia. É lindo! Assim como o Tanah Lot, vale a pena visitar no por do sol. Principalmente porque tem uma apresentação da tradicional (e um pouco estranha) dança Kecak – tradicional de Bali.
Outra coisa interessante sobre o templo é, como no Tirta Empul, você também vai ter a chance de ver os balineses fazendo suas cerimônias e rituais.

E também tem MUITO macaco! Muitos!

Se você estiver de short, eles te emprestam uma canga pra cobrir as pernas.

Dança tradicional de Bali (kecak dance)

Algumas informações sobre custo e traje para visitar os templos:

Traje: Para a maioria dos templos é preciso ter as pernas cobertas (saia longa / calça) para outros eles pedem que você use uma ‘canga’ (sarong) e/ou faixa em respeito. Eles mesmos oferecem as cangas e faixas na entrada, caso você não tenha uma (eles não cobram).
Entradas: Todos os templos citados tem taxa de entrada, mas é bem barato. Entre Rp 10,000 e Rp 30,000 (Rúpias, a moeda local). Pra dar uma ideia, 30,000 Rúpias não chegam a 3 US dollars. Todas as entradas precisam ser pagas em moeda local.
Pra fechar, tem um post completo sobre Bali aqui!
Boa viagem :)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s