Realidade dentro de uma fábrica de seda no Cambodia (fotos)

A produção de seda é uma arte antiga no Camboja. Começou lá no século 13 e foi se desenvolvendo nas fazendas próximo ao Rio Mekong, principalmente no sul de Phnom Pehn. A coisa desandou na década de 70 com o regime Khmer Rouge e o genocídio (tem um post sobre o genocídio aqui) – o país inteiro desandou, obviamente. Na década de 90 começou a melhorar e hoje em dia emprega muita gente.

Dicas:
O site da fábrica/fazenda que eu visitei é esse aqui: Artisans D’angkor.
A visita é de graça e tem transfer, também de graça, saindo do centro de Siam Reap.
Para ver o roteiro completo no sudeste asiático, clique aqui :)

Vamos aos fatos

Fatos positivos sobre as fábricas de seda no Camboja:
– A indústria emprega muita gente e 98% é mulher. Então ajuda a empoderar as mulheres cambojanas, que não tem muita chance na maioria das outras indústrias.
– A indústria de seda hoje contribui com cerca de 10% do PIB do país.

Fato não tão positivo:
– Uma pashimina de seda custa 85 dólares (aqui, na loja da fábrica – exportado pelo mundo é mais caro ainda), sendo que cada uma dessas artesãs ganha entre 80 a 100 dólares POR MÊS. Essa conta aí não fecha – é o mal do capitalismo.
– A China e a Índia estão aparentemente dominando o mercado mundial porque replicam o processo feito no Camboja, só que com máquinas. Custa muito menos e é muito mais rápido. O que pode, num futuro próximo, extinguir as fábricas e gerar o desemprego dessas mulheres.

No fim das contas, eu particularmente acho que a indústria ajuda no desenvolvimento do país.

Apesar de se ouvir muita coisa nos jornais internacionais sobre escravidão no país, todas as notícias que eu encontrei relacionadas a escravidão de mulheres e crianças, eram afim de prostituí-las. Eu não achei nenhuma evidência de escravidão nas fábricas de seda. Dar lugar a mulheres no mercado de trabalho, provavelmente até ajuda a reduzir a prostituição.

É claro que, pro padrão ocidental de condições de trabalho, a gente tende a achar que as mulheres estão mal condicionadas lá. É calor, elas trabalham sentadas no chão, descalças, além de serem mal pagas, etc etc.

Tem aqui um videozinho mal feito do meu instagram, na fábrica.

 

Sobre o processo

Se você não tem ideia de como é que se produz seda, olha as fotos:

Primeiro eles coletam os ovinhos das borboletas, e esperam as lagartas nascerem. Depois alimentam as lagartas com as folhas de uma árvore específica. E elas são colocadas nessas coisas aqui em baixo (feitas de palha ou algo do tipo), elas constroem seus casulos com a saliva:

14790923571_737f844df1_b

Ps.: Os bicho-da-seda morrem desidratados para tecer os fios de seda, mas eu não vou entrar nesse mérito pra não ser a vegetarianazi chata.

As mulheres criam os fios a partir desse casulo (tem todo um processo pra isso, fervem os casulos e tal).

14607521947_51881382a9_b

14607396948_35eb2832be_b

Depois elas colorem os fios, para ter diferentes cores:

14771112786_ec39e73cfc_b

E por último, constroem o tecido em si. Que vira vestido, pashimina, roupa de cama… etc.

14813861643_76bf630e28_b

14790881591_e3bcceb6f1_b

14728841778_b465b2ca93_b

14790972801_8cf9f3d358_b

Pra fechar, achei uma matéria no UOL sobre o mesmo tipo de fábrica, no Brasil.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s